Resenha - Conan, o Bárbaro

“A bandeira do Leão balança e cai nas trevas assombradas pelo horror. Um dragão escarlate, nascido dos ventos da ruína, sussurra. Os brilhantes cavaleiros estão amontoados onde as lanças pontiagudas irrompem, e nas montanhas arrepiantes os deuses perdidos da escuridão despertam. Mãos mortas apalpam nas sombras e estrelas empalidecem de pavor; pois esta é a a Hora do Dragão – o triunfo do medo e da noite.”
Foi só após ler o livro Quadrinhos no Cinema, em especial a parte dedicada à Conan, que percebi que não havia sentido o fato de eu ter ignorado as histórias do cimério por tanto tempo. Sendo um grande fã não só da literatura fantástica, mas também do gênero Espada e Feitiçaria, estava claro que as aventuras vividas por Conan seriam do meu agrado. E a confirmação disso veio logo em seguida, quando li o único romance escrito por Robert E. Howard, A Hora do Dragão, e outros três contos presentes no livro Conan, O Bárbaro.

Mesmo já tendo uma boa ideia do que trataria a narrativa de A Hora do Dragão, história principal do livro, fui pego de surpresa ao descobrir a grandiosidade daquele mundo criado por Robert E. Howard. Enquanto acompanhamos a busca de Conan por algum meio de destruir o terrível Xaltotun e assim reconquistar o trono da Aquilônia somos apresentamos a um mundo extraordinário, repleto de criaturas e personagens interessantíssimos.

E em meio a tantos ótimos personagens nenhum poderia se destacar mais ou ser tão interessante quanto o próprio Conan. O cimério já foi bárbaro, pirata, saqueador e agora é rei. E mesmo depois de tanto tempo sentado ao trono da Aquilônia ainda carrega consigo cada uma de suas antigas facetas, pronto para usá-las quando mais necessário.
"Atualmente, seu rei é o guerreiro mais renomado entre as nações ocidentais. Ele é um forasteiro, um aventureiro que conquistou à coroa a força durante a eclosão de uma guerra civil, estrangulando o rei Namedides com suas próprias mãos, bem diante do trono. Seu nome é Conan, e nenhum ser humano o supera em batalha."
Aqui também temos a oportunidade de apreciar três contos inéditos no Brasil, Além do Rio Negro, As negras noites de Zamboula e Os profetas do Círculo Negro, que não deixam a desejar em nada em relação ao romance que dá início ao livro. Em cada um dos contos somos apresentados a fases distintas da vida de Conan, o que faz com que fiquemos ávidos por mais ao final da leitura.

Com uma edição de encher aos olhos, Conan, o Bárbaro é sem dúvida o tipo de livro obrigatório a qualquer fã de épicos. Robert E. Howard marcou toda uma geração com sua obra e serviu de inspiração para tantos grandes autores, tais como o mestre J. R. R. Tolkien e George R. R. Martin. Sendo assim, chega a ser um crime que qualquer fã desses autores ignore a obra de Howard por mais tempo.

0 comentários:

Postar um comentário