Resenha - Refúgio

"Então, um belo dia, eu fui para a escola e Ashley tinha faltado. Liguei para o celular dela, mas ninguém atendeu. Ela também não foi no outro dia. E nem no outro. Eu não sabia bem o que fazer. Não tinha o endereço dela. Pesquisei o sobrenome Kent na internet, mas o número deles devia estar fora da lista telefônica. Na verdade, não havia absolutamente nada a seu respeito.
Ashley tinha simplismente sumido do mapa."
Mickey Bolitar nos foi apresentado no suspense Alta Tensão e agora, em Refúgio, volta com sua própria série.  Iniciei a leitura bastante animado, mas incerto dos rumos que a narrativa iria tomar. Mesmo sendo um personagem interessante Mickey não possui 20% do carisma de seu tio Myron, então ainda tinha minhas dúvidas de que ele conseguiria segurar sua própria série.

Felizmente Refúgio consegue suprir bem as expectativas, mesmo não conseguindo ser tão interessante – nem eletrizante - quanto os livros da série Myron Bolitar. Aqui encontramos Mickey tentando colocar sua vida novamente nos eixos, depois dos acontecimentos de Alta Tensão.

E como se não bastassem os problemas familiares, que só se tornar ainda maiores aqui, o garoto ainda é obrigando a lidar com o desaparecimento de sua namorada, Ashley. E provando de quem é sobrinho, Mickey não mede esforços na busca pela garota.

Um diferencial da trama é que aqui a vida pessoal do personagem principal ganha tanto destaque quanto o mistério de desaparecimento de Ashley. E isso acaba sendo um grande acerto, afinal, Mickey é apenas um garoto de 15 anos, dessa forma a narrativa não soa forçada nem exagerada demais em momento algum.

Acredito que em Refúgio o maior desafio do autor Harlan Coben foi nos apresentar novos personagens que se mostrassem tão interessantes quando os vistos na série Myron Bolitar e, até certo ponto, o autor tem sucesso nessa façanha. Mas, de qualquer maneira, tais personagens ainda estão longe de possuir metade do carisma presente em Myron, Win e Esperanza. Mas fico na expectativa de que nos próximos volumes eles venham a crescer.

Outro ponto que é importante citar é que mesmo que não seja necessário ter lido nenhum dos livros da série Myron Bolitar para que se entenda Refúgio, este está intimamente ligado aos acontecimentos do livro Alta Tensão, portanto recomendo fortemente a leitura dele. 

Ao final da leitura fica a impressão de que Refúgio serve como preparação para algo muito maior. O livro não encerra todos os mistérios levantados e nos deixa com um incrível gancho, que deixará até mesmo aqueles que não tenham simpatizado tanto com o livro curiosos pelo próximo volume.

0 comentários:

Postar um comentário