Resenha - Para Sempre

- Krickitt, quem é seu marido?
Krickitt olhou para mim novamente e voltou a olhar para o terapeuta. Eu tinha certeza de que todos podiam ouvir meu coração batendo enquanto eu esperava, em meio ao silêncio e ao desespero, pela resposta da minha esposa.
- Não sou casada.
“Não! Meu Deus! Por favor!”
Comecei a leitura de Para Sempre sem saber ao certo o que esperar. E como é bom iniciar um livro sem grandes expectativas e ao final se ver completamente encantado com a história, como é o caso.

Ai iniciar a leitura é interessante já ter em mente que você não irá encontrar um romance estilo Nicholas Sparks no livro, mas sim uma história real, sem floreios ou arranjos que poderiam deixar a narrativa mais atraente.

O livro é na verdade um relato do relacionamento de Kim e Krickitt Carpenter, focando no acidente de carro sofrido pelo casal quando tinham apenas dois meses de casados, que deixa Krickitt em coma durante semanas. E, ao finalmente despertar do coma, fica constatado que ela teve parte de sua memória comprometida e não conseguia se lembrar do marido.

O livro é narrado em primeira pessoa pelo próprio Kim, que muitas vezes se doa completamente as palavras, sem medo de mostrar realmente o medo que ele sentia enquanto passava por tudo aquilo. Uma passagem que achei particularmente marcante é um momento de desabado e, por assim dizer, fraqueza de Kim, pouco tempo depois de Krickitt ter acordado, quando ele confessa que talvez tudo fosse mais fácil se Krickitt tivesse morrido no acidente. Pois, mesmo ela estando ali, ele tinha o sentimento de ter perdido a esposa.

E foi exatamente esse tipo de passagem que fez com que eu me apegasse tanto à história deste casal. Vemos ali duas pessoas como qualquer um de nós, mas que se doam completamente ao amor que sentem um pelo outro, mesmo quando tudo está contra isso.

Apesar de todo o livro ser narrado por Kim não é difícil perceber o quando Krickitt também sofre com tudo isso. Ela se vê completamente perdida em uma vida que ela não sabe que é sua, mas mesmo assim ela luta pela salvação desse casamento, utilizando sua fé como principal instrumento.

 O livro possui uma narrativa bastante fluida e, sendo ele bastante fino, é fácil terminar a leitura em poucas horas. O trabalho feito pela editora Novo Conceito na diagramação foi simples, mas muito bem utilizado no contexto da obra. Já a capa é referente ao filme que, mesmo não sendo muito fã de capas de filmes, gostei bastante.

Em suma, Para Sempre é o tipo de livro que acaba conquistando o leitor pela beleza da história que está sendo contada, principalmente por sabermos que ela é real. Um verdadeiro exemplo de fé, amor e superação contada de forma incrivelmente humana e emocionante.

0 comentários:

Postar um comentário