Resenha - O Melhor de Mim

“Quero rir junto com você e dormir com você em meus braços. Porque você não é só alguém que amei no passado. Você era minha melhor amiga, a melhor parte de quem eu sou, e não consigo me imaginar desistindo disso outra vez. – Ele hesitou, buscando as palavras certas. – Eu lhe dei o melhor de mim e, depois que você foi embora, nada jamais voltou a ser o mesmo.”
Dawson Cole vem de uma família de criminosos e desde jovem um sombrio destino já havia sido traçado para ele por sua família. Entretanto, movido pelo amor que sentia por Amanda e com ajuda de Tuck, que o acolhe em um momento decisivo de sua vida, Dawson consegue fugir desse destino, para o desagrado de seu pai.

E é longe de sua família que Dawson consegue construir aos poucos sua vida, mesmo com visitas nada agradáveis de seu pai e primos. Mas um trágico acidente faz com que ele acabe por sair da cidade de Oriental, deixando para trás aquela vida e também Amanda, o grande amor de sua vida.

E por vinte cinco anos Dawson fica longe de Oriental, de sua antiga vida e longe de Amanda. Mas a morte de Tuck o obriga a voltar à cidade, onde ele se reencontra com Amanda, agora casada e com três filhos, e perceber que, mesmo passado tanto tempo, o amor dos dois ainda está vivo. E nesse único final de semana que os dois passarão juntos seus destinos são completamente mudados.

O Melhor de Mim foi apenas o terceiro livro do autor Nicholas Sparks que tenho a oportunidade de ler e, mesmo tendo lido tão poucos livros do autor até agora, já me considero um grande fã do mesmo. Ao ler cada um de seus livros me impressiono cada vez mais com sua sensibilidade e em como ele consegue mostrar o amor de maneira tão bela.

Creio que é inevitável fazer comparações com outros livros do autor, que costuma usar uma formula em seus romances, mas de qualquer maneira não me incomodo nem um pouco com isso. Por mais que essa formula realmente exista, vejo em cada um de seus livros elementos únicos, que fazem com que cada um deles se torne especial à sua maneira.

A narrativa do livro e bastante fluída e fácil. Como é comum acontecer nos livros do Nicholas embarcamos completamente na vida dos personagens e as páginas simplesmente fluem de maneira natural. A narrativa ainda intercala o ponto de vista dos mais diversos personagens, o que pode confundir alguns, devido ao grande numero de personagens que narram algum momento da estória.

Ao iniciar a leitura não podemos nem mesmo imaginar o rumo que tomará a trama, porém ao passar das páginas o final se torna completamente previsível. Mas acredito que o intenção do autor não era chocar o leitor com os acontecimento finais, mas sim emocionar, e isso posso dizer que ele consegue fazer com maestria.

0 comentários:

Postar um comentário