Resenha - Quebra de Confiança

"Então viu.
Na fileira de baixo, o segundo anúncio da direita para esquerda. Dizia: "Faço tudo!" O telefone era 0900-DESEJOS. [...]
A mulher da foto era Kathy Culver.
Myron sentiu um calafrio percorrer seu corpo."
Quebra de Confiança é o livro que inicia a série do autor Harlan Coben centrada no personagem Myron Bolitar. Esse, sendo o segundo livro do autor que tive a oportunidade de ler, já gerava em mim muita expectativa antes mesmo de começar a lê-lo, devido principalmente a forma como fiquei preso à leitura de Alta Tensão.

Após ser obrigado a abandonar o basquete devido a uma grave lesão, e de ter trabalhado durante algum tempo para o FBI, Myron Bolitar agora possui sua própria agência de atletas, onde recebe ajuda de seu melhor amigo Win.

Após agenciar alguns atletas pouco conhecidos Myron se torna o empresário de Chistian Steele, a maior promessa do futebol americano de todos os tempos. Entretanto, uma grande reviravolta acontece quando Chistian recebe em sua casa uma revista pornô onde encontra uma foto de Kathy Culver, sua ex-namorada, que está desaparecida há um ano e meio, em um anúncio de disque sexo. Além disso, tudo fica ainda mais confuso, pois Cristian recebe a revista apenas três dias após a morte de Adam Culver, pai de Kathy.

E então, com ajuda de Win, Myron tentará impedir que as notícias sobre Kathy se espalhem e atrapalhem a carreira de Chistian, ao mesmo tempo em que tenta resolver todo esse mistério.

Quebra de Confiança consegue facilmente prender o leitor durante quase toda leitura. O início é um pouco lendo, mas a estória vai crescendo cada vez mais, ao mesmo tempo em que faz com que nos interessemos mais pela leitura e nos envolvamos mais com todo o mistério em torno do desaparecimento de Kathy.

O humor está bastante presente em todo o livro, apesar de nem sempre funcionar, principalmente vindo de Myron, com suas ironias e de Win, que em todo momento rouba a cena, se tornando um personagem mais interessante até mesmo que o próprio Myron. Também podemos encontrar alguns clichês, mas em momento algum eles chegaram a me incomodar, devido principalmente à forma como eles são trabalhados. Em suma, apesar de existir, tais clichês funcionam e não atrapalha em nada a narrativa.

Quanto ao final, posso dizer que me surpreendeu totalmente. O Harlan conseguiu montar uma teia de fatos que vai se desenrolando durante todo o livro, mas que só fica claro ao leitor nos momentos finais quando, finalmente, todo mistério é solucionado. 

0 comentários:

Postar um comentário