Resenha - Terra Morta: Fuga

“Me pego pensando se um dia tudo voltará a ser como antes. Se os carros transitarão pelas ruas, poluindo a atmosfera, em cidades habitadas por pessoas egoístas e preocupadas unicamente com suas vidas (...) É, acho que o mundo não mudou tanto assim.”
Em Terra Morta: Fuga, do paulista Tiago Toy, acompanhamos a luta pela sobrevivência de Tiago, jovem praticante de parkour, que de repente vê sua cidade infestada de zumbis, quando as pessoas começam a se atacar, sem motivo aparente. Logo Tiago passa a receber a ajuda de Daniela, que serve como parceira e que ajuda Tiago durante muitas das fugas que podemos observar ao ler a obra.

Admito não ter tanta familiaridade com zumbis, mas Terra Morta superou todas as minhas expectativas. Tiago Toy conseguiu proporcionar uma estória envolvente, que prende o leitor durante a leitura e ao final dela nos deixa com um gostinho enorme de quero mais, já que esse é apenas o primeiro livro de sua série.

O livro possui uma narrativa rápida, com seguidas cenas de ação que me fizeram perder o fôlego. Outro ponto impressionante na narrativa é a verossimilhança dos personagens principais, os sentimentos que podemos observar em cada um dele são quase palpáveis, principalmente o medo, que está presente durante toda a obra.

Também não poderia deixar de destacar a incrível diagramação feita pela Editora Draco, que como sempre, tenta inovar em suas obras lançadas. O livro possui, além das páginas amareladas, páginas pretas e cinzas, que ajudam o leitor a embarcar, ainda mais na narrativa do livro. Sem falar em sua fantástica capa.

Com uma narrativa ágil Terra Morta: Fuga faz com que o leitor mergulhe em sua estória facilmente, proporcionando uma leitura eletrizante. Sem dúvida essa é mais uma obra nacional de qualidade que recomendo a todos que curtem uma boa estória repleta de ação. 

0 comentários:

Postar um comentário