Resenha - As Vantagens de ser Invisível

Sam batucava com as mãos no volante. Patrick colocou o braço para fora do carro e fazia ondas no ar. E eu fiquei sentado entre os dois. Depois que a música terminou, eu disse uma coisa.
“Eu me sinto infinito.”
Infinito. Não poderia escolher outra palavra para descrever o livro As Vantagens de ser Invisível. Sabe quando você termina de ler um livro e não consegue parar de pensar nele, você deita para dormir, mas fica lá, horas e horas ainda pensando no livro? E digo mais, dias se passam e mesmo assim você não consegue tirar aquele livro da cabeça. E você se pega sorrindo por diversas vezes ao lembrar-se de algum momento engraçado, como se você fizesse parte de tudo aquilo.

Em As Vantagens de ser Invisível conhecemos Charlie, um ingênuo garoto de 15 anos em processo de amadurecimento. Muito são os desafios que ele tem de enfrentar, tais como o suicídio de seu melhor amigo, seu primeiro amor e até mesmo sua própria doença mental. E em meio a isso tudo ele tenta encontrar o grupo a qual ele pertence.

O livro é feito por cartas. Cartas escritas pelo próprio Charlie endereçadas ao seu “Querido amigo”. Por meio delas o garoto narra sua vida a ele, sem nunca revelar sua verdadeira identidade. E são exatamente essas cartas que fazem com que nos apaixonemos por Charlie. O modo como ele vê o mundo, sua ingenuidade, sua sinceridade. Não tentarei descrevê-lo, até porque não o conseguiria fazer. Ele é aquele tipo de personagem único, que ficará para sempre marcado na mente do leitor.
Então, essa é a minha vida. E quero que você saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim.
Stephen Chbosky aborda diversos temas polêmicos presente na vida de vários adolescentes. Gravidez precoce, violência domestica, drogas, homossexualismo, entre muitos outros. Mas não é isso que mais impressiona o leitor, o impressionante é o modo com Charlie narra todos esses acontecimentos. De forma ingênua e pura, que me fez refletir muito sobre esses temas, e até mesmo derrubar alguns conceitos que eu possuía antes de ler o livro.

E eu gostaria de poder passar para vocês tudo que esse livro me fez sentir. Eu sorri, chorei, tive medo. Imagino que esse livro me passou todos os sentimentos que um livro é capaz de passar e agora eu quero que todos possam lê-lo. Que todos, assim como eu, possam aprender com o Charlie. Quero que todos vocês possam se sentir infinitos, como eu estou me sentido agora.
“Às vezes eu olho para fora e penso que um monte de outras pessoas viu essa neve antes. Assim como eu penso que um monte de outras pessoas leu aqueles livros antes. E ouviram aquelas canções.”
“Eu me pergunto como elas estão se sentindo esta noite.”
Esse livro mexeu comigo de uma forma que poucos conseguiram fazer, talvez nenhum. Foi difícil iniciar outra leitura, nada parecia tão bom. Nada iria mais me fazer sentir tudo que As Vantagens de ser Invisível fez. Um livro infinito, que levarei comigo pelo resto da minha vida.

1 comentários:

Dulce Nunes disse... [Responder Comentário]

Estou lendo... e aprendendo..... e cada dia mais apaixonada pelo livro. Ja aprendi por exemplo que meu livro preferido é sempre o atual, o ultimo... recomento mil vezes...

Postar um comentário