Resenha - E Tem Outra Coisa...

"Se você tem uma cópia do Guia do Mochileiro das Galáxias provavelmente a última coisa que digitaria no v-clado do livro seria o próprio título da obra, já que, como você tem um exemplar, pode-se presumir que sabe tudo sobre o mais extraordinário livro jamais publicado pelas grandes editoras da Ursa Menor.

Mas digamos, por exemplo, que [...] você decida, por puro tédio, digitar “o guia do mochileiro das galáxias no campo de busca [...].

Primeiro, um ícone animado aparecerá nem clarão de pixels e informará que há três resultados. O que é um pouco confuso, já que abaixo há uma lista de cindo itens, numerados na ordem usual.

[...]

Cada um desses cinco resultados é um longo artigo [...]

Esta não é a história desses artigos.

Mas se você for direto para o quinto resultado, [...], chegará a uma linha em fonte minúscula que diz: “Se você gostou deste artigo, talvez você também possa se interessar em ler...”

Faça o cursor tocar nesse link e você encontrará um apêndice [...].

Essa é a história desse apêndice."

Mas antes de ler esse apêndice, leia a resenha de E Tem Outra Coisa... na extensão desse post.


Até onde sabemos... Um dia, diante de um balde de caranguejos-joia, o Governo Imperial Galáctico decidiu que era necessário construir uma via expressa hiperespecial na região mais brega da Borda Ocidental da Galáxia.
[...]
Infelizmente a Terra estava no caminho dessa via expressa, de modo que os insensíveis vogons foram despachados numa frota de naves de construção para remover o planeta ofensivo com o gentil uso de armas termonucleares.
Nem o próprio Douglas Adams ficou satisfeito com o sombrio final de Praticamente Inofensiva, e por isso a autor planejava mais um livro para sua trilogia. Porém, tal livro nunca chegou a ser lançado, pois em maio de 2001 o autor veio a falecer e com isso a série O Mochileiro das Galáxias estaria encerrada.

Mas, como a improbabilidade é o que move o universo de Adams, eis que surge Eoin Colfer e resgata nossos heróis escrevendo E Tem Outra Coisa..., volume seis da trilogia de cinco livros, escrita originalmente por Douglas Adams!

Claro, que antes de ler E Tem Outra Coisa... estava bastante receoso. E não era para menos, um livro de uma série que eu aprecio tanto escrita por outro autor!  Tinha uma chance em um milhão para que desse certo. Mas com ajuda do gerador de improbabilidade infinita Colfer conseguiu resgatar o que a saga de Adams tinha de melhor e ainda acrescentou vários elementos que só serviram para tornar essa fantástica saga mais fantástica ainda.

Na trama Arthur, Ford, Trillian e Random são salvos da destruição do planeta Terra pelo imortal Wowbagger, que tem a meta de chingar todos os seres do universo em ordem alfabética, mas isso só após a tentativa frustrada de Zaphod em salvar seus amigos com a nave Coração de Ouro. Porém, Wowbagger os salva apenas com uma condição: Que Zaphod encontre um deus que possa matá-lo, pois o mesmo já está cansado de sua existência.

Então Zaphod decide ir até Asgard, em busca do seu antigo amigo, Thor, enquanto Arthur e os outros são levados a Nano, uma pequena colônia do planeta Terra, onde se encontram os últimos sobreviventes deste.

Nesse sexto volume encontramos uma estória mais fácil de ler e ser compreendida. O livro não atinge a complexidade dos de Adams, o que para mim tornou a leitura bastante agradável e divertida, mas que pode vir a incomodar os fãs mais ávidos da série.

E Tem Outra Coisa... é, sem dúvida, um sucessor mais que digno para o trabalho de Douglas Adams, pode não agradar a alguns, mas me agradou bastante. Eoin Colfer conseguiu trazer o que a saga tinha de melhor, mantendo o estilo de Adams e ainda colocando muito do seu próprio na obra. E para os quem ainda não leu nenhum volume da saga, leia, tenho certeza que você não vai se arrepender, mas um aviso: "Não entre em pânico!"

6 comentários:

Caíque Fortunato disse... [Responder Comentário]

Gostei muito da resenha, muita gente tem falado muito bem desse livro, agora fiquei curioso para ler este livro, vou ver se peço Isabella ano que vem. Mas aqui Will, quantas páginas tem esse livro? Ele é da Arqueiro mesmo né?

Abraços

Andressa Tomaz disse... [Responder Comentário]

Oi Will!
Nunca li nenhum livro dessa série (acho quie já comentei com você) e não é uma das minhas prioridades de leitura no momento, porque estou cheia de livros pendentes, mas também ouvi já pessoas ficarem com um pé atrás por não ser do mesmo autor. Ainda bem que isso não é problema! Acho que o fato da linguagem ser mais fácil
e até melhor para a série.

Beijos!

Zilda Mara Peixoto disse... [Responder Comentário]

Oi,Will!
Eu ainda não li nenhum livro da série.Até poucos dias nunca havia me interessado nela,até que li a resenha de uma amiga e simplesmente me encantei por ela.Acabei comprando-a no Sub.Espero começar a ler nas férias. Só não comprei esse volume por achar justamente que não era legal,já que não foi o mesmo autor que havia escrito.Enfim, é sempre bom conhecer novas resenhas e outras colocações para a obra.
Gostei muito da resenha e fiquei ainda mais curiosa a respeito sobre ela!
Bjs!!!
Zilda Mara
Cachola Literária

Lucas Martins disse... [Responder Comentário]

Parabéns pela resenha, Will! Gostei bastante da sinceridade!
Fico feliz em saber que não interferirá muito na série. Eu tenho os 5 primeiros mas ainda não li. Espero ter a oportunidade de lê-los em breve!
Abraço!

L@r! disse... [Responder Comentário]

Ótima resenha! Mesmo eu ficando meio perdida no começo,pois não li nenhum livro da saga ainda.
Faz tempo que quero ler essa saga,espero gostar muito,pois como você mesmo disse uns amam e outros detestam.
Ter uma saga encerrada por outro escritor é mesmo ruim.Ainda bem que deu muito certo.
Bjuss! =D

Jonas N. disse... [Responder Comentário]

E francamente espero que a essência da série tenha continuado a mesma! Quero mto ler

Abraços

Postar um comentário